academia de leitura

Uma janela de histórias e muitas brincadeiras. Para as crianças e com as crianças!

Workshops de Verão

Workshops de Mediação de Conflitos para Crianças


Olá!

Tu sabes o que é um conflito?

Já alguma tiveste um conflito com um colega um professor um amigo ou até mesmo com os teus pais?

Como fizeste para resolver o conflito?

Será que um conflito é sempre mau?


Se gostavas de saber mais sobre o que é um conflito e conhecer um método fácil de resolução de conflitos da tua vida, vem participar durante as tuas férias no...

Ciclo Arco-Íris!


O que é o Ciclo Arco-Íris?

O Ciclo Arco-Íris é composto por sete workshops com diferentes temas.

Espreita lá os temas!

1ª tema: Vamos todos sair da caixa! Que grande que é a caixa!

2º tema: Vá lá, vais ver que juntos conseguimos!

3º tema: Vamos rir, chorar, zangar e brincar...

4º tema: Up’s...chateei-me e agora?

5º tema: É só conversa, pois com conversa é que nos entendemos?”

6º tema: O que é que eu faço agora?

7º tema: Por fim, todos amigos.


O que é um Workshop?

Um Workshop é uma sessão com actividades originais e divertidas desenhadas especialmente para ti.


Tenho que ir a todos os workshops do Ciclo do Arco-Íris?

O ciclo é composto por sete workshops, mas podes inscrever-te só nos temas que mais gostas.

Nós recomendamos a frequência do ciclo completo, mas não é obrigatório!


Quais são as datas e os horários dos workshops?

Sábados no horário da manhã (10h-13h) ou da tarde (15h-18h), dependendo da disponibilidade da maioria das pessoas inscritas.


E o preço também é importante?

Sim.

São 10 € cada sessão.

O valor do Ciclo Arco-íris completo é 50 €


Como podes realizar as inscrições?

Primeiro falas com os teus pais.

Depois telefona para o número 916348402 ou envia um email para psikologias@mail.com



E enquanto as férias não chegam, conhece animais bem humorados, na solução de conflitos.


http://picasaweb.google.pt/100377669392252661137/COLECAOVIOLENCIANAOAMINHOCAEOPASSARINHO#

http://picasaweb.google.pt/100377669392252661137/AToupeiraEOsSaguis#

Com a colaboração: Ciclo Arco-Íris



http://pcicloarcoiris.webnode.com.pt/o-ciclo-arco-iris/

Sensibilizar para a diferença


Proponha as crianças a observar todas as outras crianças. Todos nós somos diferentes. De seguida, apagamos a luz da sala e ficamos as escuras e pergunte: “E agora quão diferente somos?”

Tornar-se uma pessoa diferente
Pergunte às crianças se uma pessoa se torna diferente nas seguintes situações:
Uma pessoa com um braço novo.
Uma pessoa com uma peruca.
Uma pessoa com dentes novos.
Uma criança com um novo irmão ou irmã.
Uma pessoa com um novo coração.
Uma criança que não ouve.

E se...
Pergunte às crianças se acham que se tivessem um corpo diferente as coisas que se seguem seriam diferentes ou não seriam diferentes
Os teus sentimentos?
O teu sorriso?
Os teus pensamentos?
As tuas histórias?
Os teus amigos?

Sentir: Deficiência Visual.
Materiais: vendas ou lenço para tapar os olhos.

Divida as crianças dois a dois. Cada dupla recebe um lenço. Uma das crianças tapa os olhos ao outro. A que tem a venda ou o pano deverá fazer o papel de um deficiente visual e o outro será o seu condutor. A criança que conduz a outra deverá tomar cuidado para que o outro não choque em nada nem se magoe. Peça para que eles andem um pouco num ritmo lento e, progressivamente, que aumentem o ritmo da caminhada no espaço. Após alguns minutos, peça para as duplas inverterem os papéis.
Variante: Reunir as crianças num espaço que ofereça segurança. Propõe-se jogar com um balão de olhos fechados.

Sentir: Deficiência na fala
Materiais: Vinhetas de BD ou pequenas histórias e fita-cola.

Separe as crianças em pares. Um elemento do par recebe uma pequena história ou vinheta de BD e peça que leiam.
Após isso, esse elemento deverá contar a história, sem usar nenhuma palavra, com apenas os gestos e o corpo. O outro tentará descobrir a história.
Utilize fita-cola para colar sobre a boca das crianças, assim fica mais difícil de esquecerem que não podem falar, e fica bem mais divertido.
Após um tempo inverta os papéis e, quando todos tiverem terminado, pergunte quais foram as maiores dificuldades e como eles se sentiram sobre tudo isso.

Sou asas. Marta Morgado
Este não é apenas o primeiro dia de aulas da Joana, é também o dia em que toma contacto pela primeira vez com a língua gestual e com outros surdos.


Sentir: Hiperatividade e déficit de atenção
Material: Jornais

Deixe alguns jornais espalhados pela sala e peça para que as crianças circulem entre eles, mencione uma figura ou palavra escrita em letras grandes que esteja presente em um dos jornais, as crianças devem encontrar a figura ou a palavra e se aglomerarem todas em cima do jornal.

Jogo de balões
Divida as crianças em duplas e dê para cada dupla um balão. Peça que joguem uns para os outros, mas com algumas limitações. Peça que joguem sem usar as mãos e os pés, somente os cotovelos, joelhos e outras partes do corpo.No final da dinâmica, fale de como é difícil fazer certas coisas com algumas limitações e valorizar aqueles que batalham para conseguir isso.

Actividades que ajudam as crianças a relaxar

Actividades simples e divertidas que ajudam as crianças a relaxar, imaginar, criar...

Grupo de animais
Divida as crianças em grupos iguais. Cada grupo é um animal. Ao som de uma música suave, as crianças passeiam pelo espaço.
Interrompa a música. As crianças imitam o som do seu animal e organizam-se em grupos de animais, sentam-se no chão e formam um círculo.

Põe-te o chapéu
Cada criança faz um chapéu de papel ao som de uma música relaxante. Quando todas as crianças tiverem feito um chapéu, em movimentos suaves, passeiam pelo espaço e trocam de chapéu entre si. Quando termina a música, fica de fora, quem ficou sem chapéu.

Zig-zag
Organiza-se um círculo de cadeiras, com uma das cadeiras no centro, de acordo com o numero de crianças. As crianças sentam-se. Quem está na cadeira do centro diz “zig”, “zag” ou “zig-zag”.
Se disser “zig”, as crianças trocam de cadeira com a criança da direita; se diz “zag”, trocam de cadeira com a criança da esquerda. Se disser “zig-zag”, todos trocam de lugar sem nenhuma ordem, inclusive a criança que está no centro.

Cada um com o seu par
Distribuem-se pares de cartões com animais. Cada criança recebe um cartão. Ao som da música, as crianças passeiam pelo espaço e trocam, sucessivamente, os cartões entre si.
Quando a música pará, conforme o animal representado, as crianças miam, ladram, rugem, etc. Cada criança que imita um animal tem de encontrar o seu par.

Só um lápis de cor
Estende-se papel de cenário sobre a mesa, de forma a que as crianças tenham espaço suficiente para pintar, e distribui-se um lápis de cor por criança.
Com música a tocar, as crianças movem-se, tranquilamente, pela sala em total silêncio. Desligue a música, cada criança deve procurar um lugar e pintar com os olhos fechados inspirados pela melodia da música. Cada vez que desliga a música levante da mesa um lápis de cor. O vencedor será a criança que fica com um único lápis de cor. No final do jogo fixa-se o papel de cenário na sala.

Pintura com sopro
Material: folhas de papel A3, aguarela, palhinhas, lápis de cor, pincéis e música de relaxamento.

Deixam cair algumas gotas grossas de diferentes cores com a ajuda de um pincel sobre uma folha. Sopram com a palhinha a pintura de forma a que alargue para todos os lados. Acompanhe a actividade com uma música suave.

Suporte de vela de relaxamento
Material: copo de vidro de yogurte, papel de seda de várias cores e cola.
Idade: a partir dos cinco anos, com a ajuda de um adulto.
Rasga-se o papel em pequenos pedacinhos. Reúne os pedacinhos numa bandeja, seguidamente, em silencio e num ambiente de tranquilidade, as crianças decoram o copo de yogurte com os pedacinhos de papel. No final as crianças contemplam o seu próprio copinho com a vela para relaxamento.

Quando dura um minuto?
Sentadas, as crianças observam durante um minuto o relógio. Em seguida, em posição de rei, fecham os olhos. O exercício consiste em levantar a mão quando confiem que passou um minuto. Então, abrem os olhos, assim as crianças aprendem a permanecer em silêncio durante um minuto.

Educação Emocional

My many coloured days. Dr. Seuss

Um livro rico em cor que ajuda as crianças a descobrirem o mundo das emoções.
http://picasaweb.google.com/100377669392252661137/EducacaoEmocional#



Actividades:
Explore as cores, as emoções e os animais (a abelha, o cavalo e o peixe), um por um, especialmente, com as crianças mais pequenas.
Dobre uma folha conforme o molde e convide as crianças a colorir.
Dar a oportunidade às crianças para poderem falar sobre as situações em que elas próprias experimentaram o vermelho, o azul ...


No final, em papel de parede e usando diferentes técnicas e materiais, desafiá-las a criar um mural cheio de cor.



Um livro colorido
Distribua folhas de diferentes cores: amarelo, azul, vermelho, castanho, cinza, laranja, verde, roxo, rosa e preto. As crianças pintam um desenho para expressar o que fazem quando sentem essa cor.Também pode escrever o que as crianças ditam. Arquivar todas as páginas e fazer um livro.


Estou a pensar numa cor...
Estou a pensar numa cor, é a cor do céu?
Sinto-me? Azul
Estou a pensar numa cor, é a cor do sol?
Sinto-me? Amarelo

Inventar Histórias
As crianças inventam uma história ou um poema a propósito da observação das gravuras.
"Estar azul"
"Era uma vez um menino colorido"
"Era uma vez um pássaro ..."
http://www.fabulatory.com/MCDevery.html


De que cor está o teu dia hoje?

Perguntar à criança: “De que cor está o teu dia?"
Utilize o gráfico com as cores do livro conforme o modelo.

Mostra em vez de dizer
Convide as crianças a mostrar o seguinte, mas sem usar quaisquer palavras:
Um palhaço triste
Um touro zangado.
Um peixe silencioso.
Uma flor feliz.
Um touro teimoso.
Um dia verde.
Um lobo uivando.
Um dia em que tudo acaba bem.
Uma abelha que não quer trabalhar.
Uma árvore de cor cinzenta.
Duas árvores amigas.
Uma formiga de cor amarela.



Histórias de Cores
Divida as crianças em grupos de cinco, em círculo. Cada grupo escolhe uma fita de cor. De seguida, o grupo cria uma dança ou faz um desenho que conte a história da cor que escolheu. Ou então, dá indicações sobre qual a natureza da cor escolhida.

Relaxar com as cores.
Sentamo-nos comodamente, num ambiente calmo com música suave durante alguns minutos, vamos relaxar-nos com as cores.

Vamos respirar profundamente... sem pressa...contando até quatro, enquanto inspiramos pelo nariz ..um ... dois... três...quatro...fazendo uma pequena pausa , sustendo o ar e agora soltamos, pela boca, contando .. um...dois... três...quatro. Muito bem. (repetir várias vezes.)
Estamos relaxados e vamos imaginar.

Imaginem que à vossa frente uma parede de cor azul. Concentrem-se na parede..que é de uma azul muito intenso...imaginem que se aproximam da parede...quando olham para ela não vêm mais nada do que a cor azul. Só vêem a cor azul..azul. E sentem-se tranquilos, pois o azul é tranquilidade. Lembra-vos o mar, o céu azul... Lembrem-se de outras coisas que sejam azuis...

Imaginem que, pouco a pouco, se afastam dessa parede e saem da parede. Andando, chegam a outra parede. Agora de cor verde... Continuem a respirar lentamente. Agora a parede é verde. podem sentir a frescura que transmite a cor verde.. é a cor dos bosques, da erva... e tudo à vossa frente é verde. Vejam que nalgumas zonas, a parede é verde escuro, quase azulado, noutras o tom é mais claro, brilhante e límpido. Pensem, agora, em algo que seja verde... Concentrem-se nesse objecto.. Continuem a respira profundamente...

Agora imaginam que encontram onde reinam todas as cores... observem todos os tons de cor que encontrem... o verde...o azul... amarelo... rosa... continuem a respirar profundamente e concentrem-se na energia de cada uma das cores.
Pouco a pouco vamos regressar do mundo das cores , mexam os pés lentamente... a seguir, as mãos...os braços...agora o pescoço e lentamente abram os olhos... e vejam quantas cores!

Massagens para o Bebé

As minhas primeiras melodias de relaxamento. Edicare
Este livro-cd apresenta diferentes ambientes para estimular o bebé com os sons da Natureza e dos animais. As melodias e o timbre dos instrumentos foram especialmente escolhidos para conduzir o bebé a um estado de serenidade e relaxamento profundo.



video


video

As maõs não são para bater (2)


Que fazem as mãos?
Apresente as diferentes imagens e pergunte:” que dizem e que fazen as mãos?
Realize vários gestos com as mão (acariciar, aplaudir, silêncio...) as crianças imitam os gestos e tentam advinhar o significado .

Gestos com as mãos
Em silêncio, as crianças imitam os movimentos executados pelo educador.

Abrir e fechar as mãos (alternendo e depois as duas ao mesmo tempo)
Movimento dos dedos
Mão fechadas, abrir um dedo de cada vez
Palma das mãos para a frente
Dorso das mãos para a frente
Mãos frente a frente
Gestos de lavar a mão
Estalar os dedos
Passar a mão pelo corpo
Tocar com as mãos diferentes partes do corpo
Fazer sinal positivo
Fazer sinal negativo
Fazer sinal de boleia
Fazer sinal de telefonema
Acenar- dizer adeus
Acenar-dizer olá
Acenar- estou zangado
Balançar as maõs
Colocar as mãos juntas, com os dedos esticados, depois com os dedos cruzados
Acariciar o colega do lado
Cumprimentar o colega do lado
Gestos de manosolfa

Assim que se faz (66)
Executar os movimentos sugeridos

Mãozinhas para a frente
Mãozinhas para trás
Com as mãos na cintura
É assim que se faz

Brincadeira das mãos (82)
Cantar e fazer os gestos sugeridos. Substitir a palavra brincar por gestos:
Brincar: sacudir as mãos para o lado
Acenar: abanar as mãos como”adeus”
Estalar: os dedos
Bater: no chão

Minhas mãos são pequeninas
Mas eu gosto de brincar
Direita assim, esquerda assim
Direita assim, esquerda assim
Trá-lá-lá

Minhas mãoszinhas(103)
Fazer os movimentos indicados na letra

Minhas mãozinhas estão bem fechadinhas
Olhando agora agora estão mais aberinhas
Abrindo assim, com os dedos bem juntinhas
Vejo agora como estão separatinhas.

Falar com as mãos(106)
Sentados, cantar os gestos com as mãos.

Vejá só que interessante
Basta ter imaginação
Em vez de falar com a boca
Eu posso falar
Com as mãos

Venha cá, vá para lá
Pare, agora pode passar
Até logo, espere um pouco
Psiu! É proibido falar!

Os dedinhos(110)
Fazer a sequência de movimentos com os dedos. Nos médios desenhar dois meninos.

Abrir e fachar as mão
Separar e juntar os dedos
Tocar com o polegar, cada um dos outros dedos, primeiro com a mão direita, depois com a esquerda e depois com as duas mão ao mesmo tempo
Mão abertas, fechar dedo por dedo; mãos fechadas, abrir dedos um por um
Com o plegar e o indicador, formar um angulo recto
Com o polegar e o indicador unidos, formar um círculo
Por fim, cantar a música, fazendo os gestos, indicando com as mãos unidas e dedos separados:

Tim,tim (bater os minimos)
Quem é (bater os polegares)
Sou eu (bater os anulares)
Pode entrar (bater os indicadores)
Olá, olá (cruzar os dedos médios)
(som de beijinho) (tocar as pontas dos dedos médios, como dois beijinhos na fase)

O livro:
http://picasaweb.google.com/100377669392252661137/AsMaoNaoSaoParaBater#

Criatividade e imaginação

“Precisamos mais do que tudo olhar para os céus.” Bergson

Imaginar-se descansar debaixo de uma árvore. Depois, perguntar que árvore cada um pensou.*

Imaginar-se dormindo com um bichinho de estimação. Depois, perguntar que bichinho cada um pensou.*

Imaginar-se olhando o céu à noite. Depois perguntar o que cada um viu.*
Imaginar que cada um é uma folhinha voando pelo céu, empurrada pelo vento... ”a folha sobe devagar devagarzinho”, “agora o vendo faz a folha rodar, rodando suavemente”, “agora o vento está calmo, a folhinha está planando”, “o vento está fraquinho, quase parando... a folhinha está descendo e posou num campo bem verdinho”

Imaginar-se colhendo flores num jardim. Depois, cada um vai dizer qual a flor que colheu.*

Imaginar-se uma sementinha, enterrada numa terra bem fofinha, Recebe o calorzinho do sol. Depois, perguntar em que plantinha quer se transformar. *

Cada um imagina que é uma nuvem passeando no céu. Depois, perguntar o que cada um viu ou sentiu. *

Imaginar que é um brinquedo. Depois, cada um vai dizer o brinquedo que imaginou. *

Após as actividades diárias, reserve alguns minutos destinados ao relaxamento. Selecione o exercício de acordo com o tema dos conteúdos pragmáticos que está a trabalha. E num ambiente de completo de silêncio e de calma a criança ganha asas para sonhar.
Variante: *ou ao som de uma música relaxante desenhar e depois apresentar o desenho.

Era uma vez um dia normal de escola. Gatafunho
Era um dia normal, igual a tantos outros. E um rapaz como tantos outros, fez o seu percurso habitual até à escola, como normalmente fazia. O que ele não sabia era que, nesse dia normal, iria acontecer algo de extraordinário...

http://picasaweb.google.pt/100377669392252661137/EraUmDiaNormal#

Dá-me o teu tempo

Pai, quanto ganhas à hora?

Um dia, quando um homem chegou a casa já tarde, como era habitual, cansado e irritado após mais um dia de trabalho, encontrou, o seu filho de 5 anos, esperando por si á porta!
-Papá, posso fazer-te uma pergunta?Claro que sim!
-O que é?
-Quanto ganhas numa hora?-Isso não é da tua conta. Porque me perguntas isso?! - Resmunga o homem zangado!
-Só para saber. Por favor…Diz lá… quanto ganhas numa hora papá? – Perguntou novamente o miúdo.
-Bom… já que queres tanto saber, 10 euros por hora.
-Oh!- Suspirou o miúdo, baixando a sua cabecita.
Passando algum tempo, olhando para cima, perguntou:
-Papá, emprestas-me 5 euros?
O pai, furioso, respondeu:-Se a razão de tu me teres perguntado isso, foi para me pedires dinheiro para brinquedos caros ou outro disparate qualquer, a resposta e não! E, de castigo, vais já para a cama. Vai pensando no menino egoísta que estás a ser.A minha vida de trabalho é dura demais para eu estar a perder o meu tempo com os teus caprichos!
O menino, cabisbaixo e triste, dirigiu-se silenciosamente para o seu quarto e fechou a porta. Sentado na sala, o homem ficou a meditar sobre o comportamento do seu filho e ainda se irritou mais.
Como se atrevia ele a fazer-lhe perguntas daquelas? Como é que, ainda tão novo, já se preocupava em arranjar dinheiro?
Passando mais ou menos meia hora, já mais calmo, o homem começou a ficar com remorsos da sua reacção.
Talvez o filho precisasse mesmo de comprar qualquer coisa com os 5 euros. Afinal, nem era costume o miúdo pedir-lhe dinheiro…
Dirigiu-se ao quarto do filho e abriu devagarinho a Porta.
-Já estás a dormir?- Perguntou.~
-Não papá, ainda estou acordado. – respondeu o miúdo.
-Estive a pensar… Talvez tenha sido severo demais contigo?Toma lá 5 euros que me pediste.O rapazinho endireitou-se imediatamente na cama sorrindo:
-Oh papá! Obrigado!E levantando a almofada, pegou num frasco cheio de moedas.O pai, vendo que o rapaz afinal tinha dinheiro, começou novamente a ficar zangado.O filho começou lentamente a contar o dinheiro, até que olhou par o pai.
-Para que queres mais dinheiro se já tens ai esse – resmungou o pai.
Respondeu o miúdo: Papá, agora já tenho 10 euros! Já posso comprar uma hora do teu tempo, não posso? Por favor, vem uma hora mais cedo amanhã. Gostava tanto de jantar contigo…


Caixa do Tempo

48 cartas valem 1 hora para brincarmos juntos
24 cartas vale tarde inteira de brincadeira... só nos dois.
12 cartas valem 1 minuto para sair da mesa... deixar o que tenho no prato.
24 cartas velem deitar-me uma hora mais tarde e partilhar uma história grande.
19 cartas vale uma hora juntos para fazermos juntos os meus trabalhos de casa...estou cansado digam como é que eu escrevo, ok?
12 cartas vale 1 passeio – e sou eu que escolho o sítio.
5 cartas vale 1 hora na cozinha para fazermos os nossos petiscos.
2 cartas tempo para uma nova oportunidade... eu oiço o sermão na mesma ... pode não haver castigo?
4 cartas tempo para realizar um sonho. A coisa que eu mais quero é ... e se ajudarem eu consigo.
1 carta tempo para acampar ... Nem que seja no quintal.
1 carta do tempo para ser o que quisermos. Vamo-nos mascarar.
1 carta tempo para me sentar no colo – preciso de mimo (pode ser usada todos os dias)
1 carta tempo para a confusão instalada.
1 carta quatro amigos podem dormir cá em casa.
Total: 1800m especiais para viver ao sabor da imaginação

http://www.caixadetempo.pt/

O sono

Pai, não consigo dormir. Michael Foreman

Contar carneiros não dá sono ao Pequeno Panda. Por isso o pai diz-lhe que conte vacas, porcos ou elefantes... Será que adormece?

Não quero dormir. Edições Asa
No dia das mudanças, a confusão era enorme... E ninguém tinha tempo para o Filipe. Ele, por sua vez, meteu-se dentro da caixa de cartão e bastou pensar numa coisa para que a caixa de cartão lhe obedecesse. Tudo isto aconteceu antes de se deitar.

http://picasaweb.google.com/EueSaude/NaoQueroDormir#

Vamos dormir. Jame Johnson. Minutos de Leitura
- Ah! Até que enfim paz e sossego! - suspirou a Senhora Coelha - Os meus filhos já estão aconchegados na cama. - mas a Senhora Coelha falou cedo de mais. O mais novo dos filhos acordou e não queria voltar a dormir. A Senhora Coelha tenta todos os truques que conhece para convencê-lo a dormir. Contudo, nem canções de embalar, nem um banho de espuma ou um leite morno resultaram. Ele só queria brincar...

http://picasaweb.google.com/EueSaude/VamosDormir#

Bons sonhos Roasalinda. Edições Kual
A Senhora Lua atira um pouco de pozinhos do luar para a Patinha Rosalina e deseja-lhe uma boa-noite. Mas a Rosalina não quer dormir. Apetece-lhe brincar.

http://picasaweb.google.com/EueSaude/BonsSonhosRosalinda#


Para uma noite feliz de sono é importante criar um ambiente relaxante em casa.

Cor
A escolha da cor do quarto da criança é muito importante. Selecione tons de rosa, azul claro e verde, cores que induzem ao relaxamento Não dispense os lençóis e capas de edredom em cor azul. Invocam o céu azul, a cor do mar, imagens de tranquilidade.

Olfacto
Selecione aromas calmantes e relaxantes, com essência natural. Escolha o aroma da lavanda, da rosa, de camomila, de ylag ylang, de orange blossom, ou de jasmim.
Queime algumas gotas da essência na zona da sala. Num vaporizador com água, adicione algumas gotas da essência e, alguns minutos antes da criança ir para a cama, vaporize o quarto. Uma forma natural de criar um ar livre de químicos dos purificadores do ar artificial.

Som
O volume da televisão e da rádio deve ser baixo, ajudando a criar uma atmosfera de paz em casa. Se puder, oiça música clássica ou de outro gênero musical, de forma a criar um ambiente calmo e sereno em toda a casa.

Luz
Quando a noite aproxima-se, uma boa ideia é reduzir progressivamente a iluminação da casa, o que ajuda a criança a preparar o corpo para a hora de se deitar. Não deixe a criança ver televisão sobre a hora de ir para a cama e guarde alguns minutos para a leitura de uma história.

Alimentação
À noite, a refeição deve ser leve e rica em substâncias, como a seratomina, que induzem ao relaxamento. A banana devido alto teor de potássio, magnésio e serotomina será uma ótima escolha.
Não dispense alguns chás conhecidos pelas suas propriedades calmantes, como a camomila, o limão, o maracujá... com uma colher de mel.

Ritual de sono
Crie um ritual de sono e faça da hora de deitar um momento muito especial. Coloque uma música calma a tocar ou leia uma história num tom de voz tranquilo e monotómo.
Se a hora de deitar continuar a ser um momento stressante, utilize alguns dos exercícios de relaxamento ou experimente uma boa gargalhada.

O riso
O riso é um excelente redutor de stress e estimula sonhos felizes. Façam a leitura de um livro de anedotas para crianças.

Anedotas de Elefantes. Anedotas da Escola. Edições Gailivro
Anedotas breves, inteligentes e divertidas para fazer rir os mais pequenos.

28 Histórias para rir. Kalandraka
Textos que promovem deliberadamente o riso, em resultado, sobretudo, do cômico das situações recriadas.

Não se preocupe caso as crianças não sejam capazes de se manterem concentrados por muito tempo. O mais importante é que esteja criando, progressivamente, novos hábitos e padrões positivos.



Exercícios de respiração
Cantar é uma excelente forma de regular a respiração. Com a criança sentada, peça para ela para imitar sons:
Ssssss (som de serpente)
VVhhhhh (a soprar uma vela)
Shhhhhh (para fazer silêncio)
O ar entra lentamente pelo nariz 1,2,3 e ar sai pela boca 4,5,6 (Shhh)
Dê conhecimento à criança que a respiração traz sentimentos de profunda paz e tranquilidade. Peça para esta se deitar na cama de barriga para cima, com um saquinho de areia sobre o estômago, e apresente indicações para que a mesma repare como a barriga se mexe para cima e para baixo consoante a inspiração e a expiração.

Massagem
Acaricie as palmas da mão da criança, circulando o seu polegar no sentido contrário das horas, o que se torna muito tranquilizante para a criança.
Proporcione uma massagem na cabeça.
Para terminar, a criança imagina que os braços e as pernas são flexíveis como esparguete cozido. Levante os braços e as pernas da criança, um de cada vez, para verificar se estão relaxados.

Jogos para Relaxar Antes de Deitar

O sono da estrela do mar. A criança deitada, com as pernas e os braços ligeiramente separados, fica quieta, e com os olhos fechados imagina que é uma estrela do mar. Vai fazer um sono repousante no fundo do oceano. Inspira uma vez e depois, ao expirar, os braços relaxam, inspira outra vez e, ao expirar, as pernas relaxam, inspira mais uma vez e, com uma expiração profunda, a cabeça relaxa. Fica no fundo do oceano, descansando como uma estrela do mar sonolenta.

O sono do leão. A criança ruge o mais alto que pode. O corpo fica todo tenso. Conte até dez e, em seguida, a criança deita-se na cama como um doce e meigo leãozinho.

O sono de beleza. A criança de olhos fechados imagina que dorme num lindo palácio. Um feitiço foi lançado sobre todo palácio e tudo fica imóvel. A criança não pode mexer nem um músculo.

Um passeio ao fundo do mar. A criança deita-se confortavelmente de costas, com os olhos fechados faz uma respiração profunda. Sente o corpo mover lentamente com o som das ondas do mar. Então o corpo fica leve, muito leve, e ao ritmo das ondas começa a descer, a descer até ao fundo do mar.
A areia do fundo do mar é branca e macia. Há grutas misteriosas enfeitadas de corais e madrepérolas brilhantes. Estranhas flores de mil cores bailam na água. Bandos de peixes azuis, verdes, amarelos passam silenciosamente. Há um palácio, feito de pedras macias, conchas e búzios. Ouve o som da mágica música das ondas do mar e deixa-te embalar.

Night Spa. Crie um ambiente de Spa para a criança. Música relaxante, um banho de espuma e use as velas em vês de luzes. Faça uma pequena massagem facial, nos pés e nas mãos.
Os dois vão beneficiar tanto, tanto, tanto!

As maõs não são para bater. (1)

As mãos não são para bater. Martine Agassi. Colecção Crescer a Aprender.
Neste livro, as crianças aprendem, através de uma linguagem muito simples e de um conjunto de ilustrações ternurentas e atrativas, que a violência é sempre um aspecto negativo das nossas vidas. Descobre, ainda, como controlar as suas emoções, especialmente no que diz respeito à raiva e angústia.

Actividades:

As minhas mãos
As crianças com a ajuda de um amigo contornam numa folha uma mão. Em seguida, decoram, recortam e colam-na num pau de gelado. Depois é só brincar com as diferentes formas da mão a dizer “olá”.

Saudação especial
Fale sobre as maneiras que as pessoas usam para dizer “olá”: com uma saudação, com língua gestual. Pratique com as crianças os diferentes generos de saudação. No final, inventam em pequenos grupos a sua própria saudação especial com as mãos.

Língua Gestual
Explore com as crianças diferentes formas de usar as mãos para comunicar. As mãos servem para acenar, cumprimentar, abraçar, apontar, “dá-me cinco”... Apresente alguns sinais da linguagem gestual e deixe que imitem os sinais.
Incentive que utilizem a linguagem gestual, durante um dia, para comunicarem acções como comer, dormir, pedir ajuda...

Teatro de sombras
Ensine as crianças a usarem os dedos para fazer sombras. Pode construir uma tenda ou simplesmente exibir na parede com a ajuda de uma lanterna. As crianças podem inventar a sua história com as diferentes personagens. Pode discutir como às vezes as sombras podem ser assustadoras ou muito engraçadas.

Digitintas divertidas
Faça desenhos com os dedos usando um tabuleiro com tinta lavável e uma folha de papel. Demonstre como cada mancha do dedo é diferente das outras. Transforme as digitintas em rostos, gotas de água de chuva, estrelas e depois deixe à conta da imaginação de cada uma das crianças.

Sem mãos
Ponha as mãos atrás das costas durante cinco minutos. Verifique como se sente caso não seja capaz de falar, jogar ou trabalhar.

A Pequena Tartaruga
A Pequena Tartaruga quando está zangada, ela sabe como parar e esconder-se na carapaça e respirar lentamente. Então, ela pensa, pensa, pensa, e vem uma grande idéia sobre o que pode fazer com as suas mãos em vez de bater.
Faça um gráfico como um lembrete para as crianças de todas as coisas que pode fazer em vez de bater!



video

Comportamentos de Agressividade e Impulsividade(2)

Esta é a última fase da técnica da tartaruga. Tem cinco passos. Em termos teóricos, os passos podem parecer complicados para as crianças, mas na prática são de fácil compreensão.

Passo1: Definição clara do problema
Passo2: Gerar respostas alternativas para a situação
Passo3: Avaliação das consequências das respostas alternativas e seleccionar a melhor resposta
Passo4: Pôr em práctica a solução escolhida
Passo 5: Verificar os resultados

Actividades:


PENSAR COMO UMA TARTARUGA





Cole a imagem num local bem visível para todas as crianças.

Explique que a Pequena Tartaruga quando está irritada, ela sabe como parar, esconde-se na carapaça e respira lentamente para relaxar. Então ela pensa, pensa, pensa, e vem uma grande idéia sobre o que pode fazer com as suas mãos em vez de bater ou meter-se em sarilhos.

Assegure-se que todas as crianças compreenderam. Depois basta deixar que as crianças criem diferentes soluções para resolução do problema. Considerem as consequências positivas e negativas de cada solução apresentada pelas crianças. As crianças discutem em pequenos grupos e apresentam a melhor maneira de resolver o problema.
Utilize situações do dia-a-dia da sala de aula. Por exemplo:

Professor: “O Jorge empurra o Pedro. Que pode fazer o Pedro?”
Crianças: “O Pedro fica furioso e dá-lhe uma grande patada.”
Professor: “O que aconteceria a seguir?”
Crianças: “Os dois ficariam de castigo.”
Professor: “Que outra coisa pode fazer o Pedro?”
Crianças: “Pedir ao Jorge que se afaste.”
Professor: “E se o Jorge não se afasta?”
Crianças: “O Pedro afasta-se.”
Professor: “E se isso deixasse o Pedro sentir muita raiva?”
Crianças: “Pode parar e esconde-se na carapaça da tartaruga.”
Professor: “Então qual seria a melhor coisa que o Pedro pode fazer para não meter-se em sarilhos?”


Apresentar às crianças vários cenários “O que podes fazer em vez de bater?”; “O que aconteceria a seguir?”; “Qual seria a melhor maneira para não meter-se em sarilhos?”; entre outros.
Alguém tira a tua bola com que estavas a jogar. O que podes fazer?
Alguém derruba com intenção a tua torre de cubos. O que podes fazer?
Alguém te empurra na saída da sala. O que podes fazer?
Alguém quer ser o primeiro da fila, mas tu chegaste primeiro. O que podes fazer?

Sugestões de Actividades de reforço da Técnica da Tartaruga

Prémio Super Tartaruga
Certificado entregue ao final do dia às crianças que controlaram adequadamente os seus sentimentos de raiva e implusividade.

Treinador de Tartaruga
Apresente a “Pequena Tartaruga” às crianças dentro do aquário. Diga às crianças que quem melhor utilizar a Técnica da Tartaruga para controlar a agressividade e impulsividade tem direito a alimentar a “Pequena Tartaruga”.

A Festa da Tartaruga
Decore uma caixa. Sempre que alguma criança utilizar a técnica com sucesso, conta o acontecimento à professora e/ou à classe. Deposita-se dentro dessa caixa várias fichas-prémio. Quando a caixa ficar cheia a sala realiza uma festa.

Relaxamento para Crianças

Mãos e Braços

Vamos fazer de conta que tens um limão na tua mão esquerda. Agora aperta com foça o limão. Tenta espremê-lo com tanta força, como se fosses tirar todo o seu sumo. Sentes que o teu braço e a tua mão estão tensos, enquanto espremes o limão. Depois deixa cair o limão no chão. Notas que os teus músculos, da tua mão e do teu braço, estão relaxados.
Vamos agora apanhar um outro limão e apertá-lo. Vais espremer este limão ainda com mais força que o outro. Muita força! Em seguida, deixa cair o limão e relaxa. Repara que a tua mão e o teu braço sentem-se muito melhor quando estão relaxados.
Apanhamos outra vez um limão com a mão esquerda e espremêmo-lo até que não fique nenhuma gota. Aperta com toda a tua força! Agora relaxa e deixa cair o limão no chão.

Braços e Ombros

Vamos fazer de conta que és um gato fofo e muito preguiçoso. Queres esticar-te. Estica os braços bem para a frente. Seguidamente, levantas devagar os braços para cima. Muito para cima, bem para cima! Depois para trás. Mais para trás, bem para trás! Sentes tanta preguiça, que deixas cair os braços e relaxas. Então, gatinho, vamos nos esticar de novo? Estica os braços para a frente, bem para a frente. Levanta-os para cima. E, agora, para trás. Mas que preguiça! Deixa os braços caírem rapidamente. Assim, sentimo-nos bem. Os ombros estão relaxados. Esticamo-nos mais uma vez. Os braços bem para frente, levantar até à cabeça, como se fossemos tocar no céu, e empurrámos para trás. Nota a tensão em que ficamos com os braços e os ombros. Mantém os braços apertados. Que preguiça! E deixamos cair os braços. Desta maneira, conseguimos relaxar.

Ombros e Pescoço

Vamos imaginar que és a Pequena Tartaruga. Estás sentada numa pedra junto ao lago, a apanhar um sol bem quentinho. Sentes-te confortável e seguro. Oh! De repente, sentes que há perigo! Metes a cabeça dentro da tua carapaça. Tenta subir os ombros, até tocarem as tuas orelhas, e baixar a cabeça entre os ombros. Ficas aí quietinho à espera. Já passou o perigo! Podes sair da tua carapaça e relaxar a apanhar o sol quentinho. Oh! Mais um perigo! Escondes rapidamente a tua cabeça na tua carapaça e mantém tua cabeça apertada entre os ombros. Tens que estar fechado e apertado para poderes proteger-te. Já podes sair, tira a tua cabeça da carapaça e relaxa os ombros. Nota como te sentes melhor relaxado. Oh! Sentes outra vez que há perigo! Metes novamente a cabeça para dentro. Tenta subir os ombros, até tocarem as tuas orelhas, e baixar a cabeça entre os ombros. Ficas aí quietinho. Não há mais perigo! Espreita pela tua carapaça e, depois, sai. Sentes-te de novo seguro. Deixou de haver perigo. Agora, não tens que sentir medo. Ficas apenas a apanhar o sol quentinho e relaxado.

Boca

Tens uma pastilha elástica gigante e muito difícil de mastigar na tua boca. Morde com muita força! Agora descansa e deixa a boca ficar solta. Já podes abrir melhor a boca. E, que bem que sabe, relaxar a boca! Vamos mastigar outra pastilha elástica. Esta ainda é mais dura que a primeira. Mastiga com força, aperta muito bem. Up’s! A pastilha elástica caiu para fora da boca. Esta pastilha é mesmo bastante dura. Já basta! Lentamente, deixa a boca soltar-se dessa tensão. É tão bom relaxar e não ter que lutar contra a pastilha elástica. Vais receber mais uma pastilha elática. Esta também é muito dura. É preciso muita força para espremê-la entre os dentes. Depois de a mastigares e a apertares muito bem, relaxa a boca. Assim, conseguiste ganhar uma pastilha elástica e ficar bem relaxado.

Cara e Nariz

Aí vem uma mosca. Aterrou em cima do teu nariz. Tenta tirá-la sem usar as tuas mãos. Podes mexer-te e enrrugar o teu nariz o mais que possas. Enrruga o teu nariz com força. A mosca já foi embora. Agora, podes relaxar o nariz. Oh! Vem aí a mosca outra vez, enrruga o teu nariz com força, com muita força e saiu voando. Já podes relaxar. Nota que quando enrrugas o nariz com força a tua boca e os teus olhos também te ajudam. E, quando relaxas, toda a tua cara também relaxa. Oh, oh! Desta vez, sentou-se na tua testa. Faz muitas rugas. Tenta apanhá-la entre as rugas . Já se foi embora de vez. Podes relaxar, deixar a cara lisa, sem rugas. A tua cara está suave, lisa e relaxada.

Estômago


Estás deitado numa floresta e vês um lindo elefantezinho, mas é muito distraído, não vê para onde vai e zás! Põe a pata em cima do teu estômago. Não te mexas! Não queres assustá-lo! Faz com que o teu estômago fique duro. Aperta os músculos do teu estômago com força. Mantém-te assim. Parece que desistiu e vai para outro lado. Já podes relaxar! Deixa o estômago bem solto. Já te sentes bem melhor. Ai, ai! Vem de novo na tua direcção. Prepara-te. Aperta o teu estômago com força. Se não fazes força com o teu estômago podes te magoar. Faz com que o teu estômago pareça uma pedra. Foi para outro lado. Podes relaxar! Nota a diferença de quando tens o estômago duro como uma pedra e de quando o tens relaxado. Não vais acreditar, o elefantezinho distraído vem aí outra vez. Aperta o teu estômago com muita força, com toda a tua força. Está com a pata em cima do teu estômago, mas tu estás duro como uma pedra e não sentes nada. Já passou! Agora sim, já podes ficar completamente relaxado. Está tudo bem e podes ficar relaxado, o elefante distraido parece que não vai voltar.
Agora imagina que queres passar num caminho estreito. Vais ter que apertar o teu corpo muito para poderes passar. Aperta muito o teu estômago até que toque na tua coluna. Faz-te muito magrinho. Tens que fazer um grande esforço para poder passar. Depois de passares podes relaxar. Sentes como o teu estômago fica solto. Vamos tentar mais uma vez, aperta teu estômago e faz-te muito magrinho, só mais um esforço e mais uma vez. Passas-te o caminho estreito. Deixa o teu estômago libertar-se até ao ponto que te sintas bem.

Pernas e Pés

Imagina que estás descalço numa poça cheia de lama. Mete os teus pés profundamente dentro da lama. Vais precisar que as tuas pernas te ajudem. Faz força para baixo e mete os dedos dos pés para dentro, para te ajudar a chegar cada vez mais fundo da poça de lama. Está a correr bem, agora, afasta os dedos dos pés e dá um passo grande para sair da poça. Relaxa os pés e as pernas. Deixa que se sintam soltos. Que bem que te sentes! Vamos mais uma vez para a poça de lama. Empurra os pés para o fundo da poça com mais força. Força! Tenta apertar os dedos dos pés muito juntos. Está bem assim. Salta e relaxa os pés, os dedos dos pés e as pernas. Sentes-te tão bem relaxado. Não tens nenhuma tensão.

Comportamentos de Agressividade e Impulsividade(1)

Técnica da Tartaruga - Programa de auto-controle

Objectivo: ensinar a criança a controlar o seu comportamento disruptivo.
Tipo de comportamento: impulsividade: agressões, condutas disruptivas
Aplicação: na sala de aula

FASE 1: Leitura da História

O segredo da Pequena Tartaruga.

Há muito e muito tempo, vivia no lago uma Pequena Tartaruga. A Pequena Tartaruga tinha seis anos e, como toda a tartaruga da sua idade, vai à escola.
A Pequena Tartaruga gostava muito de correr e jogar com as outras tartarugas no recreio da escola.
Mas quando estava zangada, portava-se mal. Chamava nomes às outras tartarugas e metia-se em sarilhos.
A Pequena Tartaruga sentia-se muito mal.
Era sempre assim, quando estava zangada, sempre acabava metida em algum problema.
Certo dia encontrou uma tartaruga muito velha. A Velha Tartaruga parecia ter 300 anos.
A Velha Tartaruga aproximou-se da Pequena Tartaruga e, numa voz meiga, disse:
“Vou contar-te um segredo, quando estás zangada, podes esconder-te!”
A Pequena Tartaruga sentia-se perdida, não percebia de que lhe falava.
“A tua carapaça! Para quê que tens a tua carapaça? Podes esconder-te na tua carapaça sempre que te sintas zangada. Ajuda a passar se contares até dez antes de falar” - disse a Velha Tartaruga.
“Já sabes, da próxima vez que te sintas zangada, escondes-te dentro da tua carapaça e contas até dez.” – repetiu a Velha Tartaruga.
A Pequena Tartaruga ficou muito contente e também muito impaciente, queria pôr em prática o segredo da Velha Tartaruga.
No dia seguinte, na sala de aula, a Tartaruga Dedé, deu-lhe sem intenção um empurrão. A Pequena Tartaruga estava zangada, a ponto de perder a paciência e devolver-lhe o empurrão, quando recordou o segredo da Velha Tartaruga.
Encolheu lentamente as pernas e a cabeça. Apertou todo o corpo para dentro da carapaça e contou até dez. Sentiu-se a aclamar.
Agora, a Pequena Tartaruga usava o segredo da Velha Tartaruga cada vez que se sentia zangada.
Na escola, todos a admiravam e queriam ser sua amiga.
Todos os meninos sabiam que a Pequena Tartaruga estava diferente, mas só tu sabes o seu segredo.

FASE 2: Praticar em grupo

A Pequena Tartaruga quando se sente zangada, ela sabe como parar, esconde-se na carapaça conta até dez até a raiva passar.

Exemplifique: “Oh, estou zangada porque o Pedro chamou-me nomes!”
Vou usar o segredo da tartaruga. Encolho os braços e as pernas para junto do meu corpo, inclino a cabeça para o peito, conto até dez e espero até a raiva passar.

Apresente situações de conflito habituais, para que mimem a “posição tartaruga”.
Para maior divertimento, realize um Jogo. As crianças passeiam livremente pelo espaço, ao sinal “Tartaruga”, todas as crianças devem estar na “posição tartaruga”.

FASE 3: Prática individual

Durante a semana, mantenha 10 minutos de prática. Utilize os incidentes diários como exemplos ou selecione um comportamento difícil habitual da criança. Após a execução da “posição tartaruga”, reforce positivamente e as restantes crianças aplaudem.

Explore novas situações (caso alguém tire o material, chame nomes...) e interrogue as crianças sobre o que fariam. Encoraje as crianças a utilizarem a técnica e reforce, positivamente, respostas imediatas na “posição tartaruga”.

Envie uma nota para a família, informando sobre a “técnica da tartaruga” e sugestões de como podem ajudar as crianças a praticarem a técnica em casa.

Utilize o modelo. As crianças desenham e decoram a carapaça da sua tartaruga.





Caçador de tartarugas

As crianças dispersam-se pelo pátio: são as tartarugas. Ao sinal, o caçador sai correndo para caçar as tartarugas. Estas evitarão ser apanhadas deitando-se de costas, pernas ebraços encolhidos, imitando tartaruga deitada de costas. Enquanto estiverem nesta posição, não poderão ser caçadas. O jogador que for apanhado será eliminado.




FASE 4: Exercício de relaxamento

Leitura da história.

A Pequena Tartaruga sentia-se cada vez mais feliz na escola.
Quando estava zangada, mesmo sem saber bem qual o motivo, escondia-se dentro da sua carapaça.
Mas, a Pequena Tartaruga tinha dias que estava tão zangada que o coração batia rápido, o rosto ficava vermelho e contar até dez não a acalmava.
A Pequena Tartaruga procurou de novo a Velha Tartaruga para pedir-lhe ajuda.
“Que posso fazer se contar até dez não me acalma?” – perguntou a Pequena Tartaruga.
A Velha Tartaruga disse: “Dentro da tua carapaça, tens que respirar lentamente, soltar os músculos das pernas, das mãos e do estômago. Também podes pensar em coisas bonitas.”
A Pequena Tartaruga gostou muito da ideia e começou logo a aprender a relaxar.


Fale que quando estamos irritados, zangados ou com raiva o nosso coração pode bater mais rápido, podemos ficar com o rosto vermelho e sentir o corpo “quente”.
Fale com as crianças. Para nos acalmarmos, podemos fazer três respirações profundas e fazer o nosso corpo ficar mole (relaxado). Quando estamos relaxados a respiração fica mais leve, o coração bate mais lento, o corpo fica mais solto e sorri.
Os músculos a relaxar devem seguir a seguinte ordem:

-apertar bem as mãos
-dobrar os braços em direção aos ombros
-esticar bem as pernas como se quisessem tocar algo longe
-apertar com firmeza os lábios um contra o outro
-fechar os olhos com muita força
-empurrar o estômago bem para fora
-respiração: encher os pulmões cheios de ar e libertar o ar muito lentamente

As crianças sentam-se confortavelmente e soltam os pés e as pernas. Os braços também são deixados soltos, descansando sobre a mesa e a coluna vertebral deve ficar ereta.

“Concentra-te na tua mão, mantém a mão fechada e aperta-a tanto quanto seja possível, enquanto contas até dez: 1, 2, 3, força; 4, 5, 6, mais força; 7, 8, com toda a tua força; 9 e 10, mantém toda a tua força. Agora, muito lentamente, vais abrir a tua mão, enquanto contas 9, 8, 7, vai desaparecer a tensão; 6,5,4, a mão fica leve; 3,2, a mão está cada vez mais leve; 1 e 0, relaxa.”

A respiração é muito importante no relaxamento. O ar entra pelo nariz, estufa a barriga e sai pela boca (respiração abdominal). Adoptamos um ritmo de três tempos, contando mentalmente: 1...2...3, o ar entra; 1...2...3, prende-se o ar nos pulmões; 1... 2...3, o ar sai. A respiração inicia-se de forma ritmada e profunda e, no decorrer do exercício, fica mais suave.
Ensinamos às crianças que é bom respirar, que exercitem isso algumas vezes por dia e que a utilizem em situações difíceis.

Reforçar e entusiasmar as crianças, para que aprendam a reconhecer a diferença entre o estado de tensão e o estado de relaxamento.

Dividir os diferentes músculos em diversas sessões práticas. A sequência começa pelas mãos, pernas, lábios, olhos, estômago e termina pelo peito.

Recomenda-se que não trabalhem mais de 15 minutos por sessão e idealmente dois a três dias por semana em sessões curtas. Estar atento ao ritmo de cada uma das crianças e seguir o ritmo adequado a cada situação específica.

Quando verifica que já aprenderam a relaxar, conforme descrito anteriormente, passe à fase seguinte.
Também pode utilizar pistas visuais para ser mais divertido. Os mais pequenos vão adorar as brincadeiras! (ver relaxamento)

Fase 4: Relaxamento

O treino de relaxamento dura duas a três semanas completas.
Nesta fase, as instruções permitem a obtenção de relaxamento total sem a seqüência tensão-relaxamento. As crianças devem ser capazes de dar resposta de relaxamento, face ao sinal “tartaruga”.
“Vou contar ao contrário de 10 até 0, a cada número que diga vais ficar progressivamente mais relaxado, como a Pequena Tartaruga”

O Nosso Cantinho

Quem Sou Eu

Psicóloga e apaixonada pelo

valor terapêutico das histórias infantis.

Uma janela aberta com jogos e

muitas histórias para cuidar e encantar

os mais pequeninos.

Um blogue que responde a todas as suas dúvidas e aceita as suas sugestões. Escreva para: eunicepestana@sapo.pt

Os Nossos Sonhos

Nós Acreditamos

Nós Acreditamos